Câncer de tireoide

Corresponde a cerca de 5% do total de nódulos. Pode surgir em qualquer idade, inclusive em pacientes jovens.

A incidência de câncer de tireoide vem aumentando progressivamente, mas devido ao diagnóstico precoce e aos tratamentos eficazes, as taxas de cura também aumentaram.

Características que aumentam a probabilidade de um nódulo ser maligno:

– Crescimento muito rápido do nódulo

– Nódulo endurecido e/ou aderido às estruturas adjacentes

– Aumento dos linfonodos cervicais (gânglios ao redor da tireoide)

– História familiar de câncer de tireoide

– Alteração na voz por paralisia de prega vocal

– Histórico de radioterapia no pescoço por outra doença prévia

Tratamento:

Consiste na remoção cirúrgica da tireoide (tireoidectomia), sendo às vezes necessário retirar também alguns linfonodos cervicais.

Para os carcinomas diferenciados (papilares e foliculares), que são os mais frequentes, muitas vezes há indicação de tratamento adicional com iodo radioativo.

Após a remoção da tireoide, é necessário tomar levotiroxina por toda a vida, tanto para substituir a função da glândula como para prevenir recidiva do câncer.

Alguns tumores avançados podem precisar de tratamentos adicionais. A conduta deve ser sempre individualizada e definida por médico endocrinologista com experiência em câncer de tireoide.